Turma da Mônica – Versão sem Cortes (2)

31 outubro 2008


Exposição de Arte

28 outubro 2008

Meu amigo Fernando – dono do blog Clube da Caneta – é um ótimo desenhista. E está começando a carreira de cartunista de verdade. Alguns de seus desenhos estão em exposição na Biblioteca Municipal Jaime Camera, localizada em Palmas, Tocantins. Caso você more ou esteja na cidade, dê uma passada lá, garanto a qualidade dos desenhos dele. Segue a imagem de um cartaz da exposição:

Quem não puder ir na exposição, visite o blog dele e aprecie arte de qualidade no conforto da sua casa.


Bate nele, Rubinho!

28 outubro 2008

Como todo brasileiro aficcionado por Fórmula 1, estou na espectativa do GP de Interlagos para ver se o Massa consegue o campeonato. Entretanto, outro compatriota nosso pode ajudar decisivamente na conquista:

Bate nele Rubinho

Idéia do Buzz.


Banjo-Kazooie está de volta!

28 outubro 2008

A notícia é meio antiga, mas não podia deixar de publicar sobre isso.

Banjo-Kazooie (assim como sua continuação, Banjo-Tooie) é simplesmente um dos melhores jogos que eu já tive o prazer de jogar. Passei dias lutando dos mais improváveis modos para conseguir um prêmio quase tão improvável quanto – uma peça de quebra-cabeça. Tudo isso para, no fim, você confrontar uma bruxa. Claro, afinal, toda hora ursos saiem com pássaros na sua mochila para confrontar bruxas.

Banjo

Além disso, que fã da série consegue esquecer os mistérios presentes na série? Aqueles ovos coloridos, a chave de gelo e tudo mais… segredos esses que provavelmente seriam revelados, mas com a venda da Rare (produtora do jogo) para a Microsoft (e a conseqüente paralização de produção de jogos da Rare para a Nintendo), foi tudo por água abaixo. Entretanto…

Como o título do post disse, Banjo-Kazooie FINALMENTE está de volta! Infelizmente para Xbox 360 apenas, mas já é alguma coisa! O jogo se chamará Banjo Kazooie: Nuts and Bolts e deve ser lançado em 2009. Outra coisa legal sobre essa sequëncia é que há rumores de que o famoso -e pra lá de enigmático – Stop ‘n’ Swop será finalmente revelado. Isso deixa qualquer Banjo-fã mais ansioso ainda para ver logo esse jogo novo.

O site oficial (em inglês) contém algumas fotos e está sendo atualizado com novidades sobre o processo de produção, visite: http://banjo-kazooie.com/


Mudança no Feed

28 outubro 2008

Mudei o feed do blog para o FeedBurner por indicação de um amigo, e realmente valeu a pena. Peço a quem acompanha o blog pelo feed que migre para o novo feed Clicando aqui. Quem não assina, peço que assine; feeds são uma maneira bem mais fácil de se acompanhar um blog.

Só isso por enquanto, ainda hoje posto novamente – e dessa vez com algo que interesse vocês de verdade :P


Segundo turno das eleições

26 outubro 2008

Hoje é dia de votar novamente para algumas cidades. Aqui em Vila Velha, por exemplo, a escolha vai ser difícil. Temos um Pastor da Igreja Universal, Neucimar Fraga (que por sinal, desde que virou deputado saiu do aluguel no Soteco para uma cobertura de 1,5 milhão de reais na praia) e um médico picareta que só ganha voto por atender gratuitamente, o filho de Zeus, Dr. Hércules.

 

Tenho medo do futuro da cidade. Muito medo.


Turma da Mônica – Versão sem Cortes

23 outubro 2008

Eu realmente não sei quem fez essas modificações, mas o fato é que elas ficaram geniais. Quem não tiver senso de humor pra levar na boa poprque a Turma da Mônica é algo muito sagrado pra eles que se fodam. Eu também gosto da turma e nem por isso deixei de rir pra caramba com as piadas de muito mal gosto:


Caso Eloá – Lindemberg

21 outubro 2008

Enfim, outro caso ridículo na história do país. Sequestros acontecem todo dia, toda hora. Pessoas morrem todo dia, toda hora – e de formas muito mais cruéis e sofridas que essa. É incrível ver a maioria não-pensante que existe no mundo.

Não é questão de defender o assassino, nem questão de condenar ele. A questão é, de novo, da mídia excessivamente sensacionalista, vendo a situação como verdadeiros urubus. Eu gostaria de saber o porque disso ser mais importante do que a situação (caótica, diga-se de passagem) econômica mundial, a qual agora é tratada quase como uma curiosidade se comparada ao caso tema desse post.

Cada vez mais eu acho que o jornalismo brasileiro se resume a progamas do estilo Superpop e Casos de Família, onde o que vale é o sensacionalismo, a bizarrice, o foco em banalidades e a banalização do que deveria ser focado.

A propósito, alguem lembra do João Hélio? Alguem lembra da Isabella? Alguem lembra do garoto fuzilado pela polícia? A maioria não. Alguem se lembra que está acontecendo uma guerra no Iraque? Acho que não. Alguem se lembra que tem gente morrendo de fome no sertão nordestino? Que se danem eles, não é?

Muito se comenta a atuação da polícia. Alguém já parou pra pensar que o preparo e a infra-estrutura das polícias brasileiras é uma porcaria? Já perceberam também que eles se encontram entre a faca e a espada? Sim, porque se eles atiram antes e perguntam depois, são assassinos despreparados. Se eles perguntam antes e atiram depois, são inatuantes. E alguem já parou pra pensar que por mais que alguem erre, é um ser humano? Imagine você na situação dos policiais, dar a ordem para matar uma pessoa que tinha a chance de ser salva junto com as outras? É complicado.

Não estou defendendo que deviam ter atirado, nem defendendo que não deviam, só estou deixando claro que a polícia não tem culpa. Eles são criticados de qualquer modo. Afinal, a culpa sempre cai no elo mais fraco da corrente. Não cai nos políticos que deixam a segurança pública às moscas e que abandonem mais ainda a já lastimável educação pública brasileira, que só faz aumentar o mundo do crime. Pra que culpar eles se podem simplesmente falar que foi incompetencia da polícia? É tão mais simples, concordam?

Por fim, um viva à mídia livre. Livre para explorar tragédias familiares alheias, livre para dar proporções gigantescas a um caso brutal, mas que não merece nem um décimo da atenção que lhe foi – e que ainda será – dispensada. Enfim, um viva à mídia livre para falar merda.


System of a Down – Live Trabendo 2005

16 outubro 2008

Na minha opinião, System é a maior banda de todos os tempos. Provavelmente você já ouviu algum dos hits da banda (Chop Suey!, Aerials, Toxicity, BYOB e Lonely Day, principalmente), e se ouviu, não sei como não conseguiu ficar fissurado na música deles logo de cara. Um ritmo único, metal com influências do leste europeu, o melhor vocalista que eu já vi no mundo, e um compositor que consegue ser simples e genial ao mesmo tempo.

Infelizmente a banda encontra-se em hiatus atualmente, e seus membros em projetos paralelos – sobre os quais falarei em outros posts mais tarde, provavelmente. Quem quiser conhecer melhor a história da banda, pode visitar um ótimo fã-site brasileiro sobre a banda clicando aqui ou ir na wikipédia mesmo. O ponto desse post é que ultimamente eu ando mais fissurado que o comum por um show deles em Paris (Trabendo, 2005). Decidi, então, compartilhá-lo aqui. Lembrando que as músicas estão apenas em áudio, mas de ótima qualidade. Links (92 megas):

http://www.badongo.com/file/7104349
ou
http://www.zshare.net/download/604346254845bd/
ou
http://fastuploading.com/download.php?id=C52D4B7D1
ou
http://www.megaupload.com/?d=U9H42N0K
ou
http://rapidshare.com/files/80219572/OF-A-DOWN-Live-Trabendo-2005.rar.html

Aproveitem ;)


Filme do Batimã – Feira da Fruta

15 outubro 2008

Sinceramente, pensava que todos conheciam esse vídeo. Pensava isso até um colega meu mostrar-se confuso quando eu citei uma das muitas falas do “filme” famosas entre os fãs. Decidi então postar sobre ele. Quem nunca viu, vale a pena: é uma pérola do humor tosco – e como tal, recheada de palvras de baixo calão. Entretanto, seja pelas piadas em si, pelo enredo inusitado ou pela tosqueira apenas, é hilário o vídeo:

São raros os casos de quem consegue assistir isso sem ficar viciado em uma ou mais falas do episódio e até usá-las no cotidiano, isso sem falar no hit Feira da Fruta. Vale também dizer que vários fãs tentaram fazer versões novas das dublagens, que chegam até a ter algumas partes boas, mas não chegam nem perto da obra-prima do “Feira da Fruta”.