Guantánamo é aqui e agora (parte 2)

13 março 2010

Ontem acabei tendo que sair e não conclui o assunto do post anterior. Vou ser breve.

Como já explanei, a situação das cadeias não é algo que receba destaque na mídia capixaba. Temos um jornal de grande circulação aqui na Grande Vitória chamado “A Tribuna”. Esse jornal reproduz diversos colunistas de todo o Brasil. Dentre eles, Elio Gaspari – que escreve para vários outros jornais, também. Aliás, foi justamente pela coluna dele que eu fiquei sabendo desses relatório com fotos e de que o nosso Governador vai ter que prestar esclarecimentos perante à ONU no dia 15/03.

Mas não fiquei sabendo pela A Tribuna. Aliás, ninguém ficou sabendo por ela. No dia que a coluna deveria ter sido publicada, ela simplesmente não foi. Não havia explicação, não havia justificativa. Ela simplesmente não estava lá. Nem o Elio Gaspari foi avisado previamente que ela não seria publicada. Vejam vocês que, no que depender dos poderosos detentores dos meios de comunicação, os capixabas não iam ter acesso a isso NUNCA.

A explicação da A Tribuna foi que houve um “problema técnico”. Isso é chamar-nos de idiota. Felizmente, os débeis senhores que comandam esses meios de comunicação – que mais parecem meios de controle social – ignoram o poder da internet. Não adianta censurar todos os jornais locais se, pela internet, conseguimos ler o que é publicado fora do estado.

Outro ponto que gostaria de destacar foi a atitude de Elio Gaspari, que, assim que soube que sua coluna não foi publicada pelo jornal, suspendeu o direito de publicação. A coisa mais próxima de uma declaração que eu encontrei do colunista foi aqui e diz:  Segundo o colunista, os motivos que levaram a não publicação do texto “parecem óbvios”.

Sim, são bem óbvios. É óbvio que o povo vai dizer sim pro que o moço da televisão disser. E se ele nem tocar no assunto, é porque não é importante de se pensar sobre. Vida que segue.

* Acho que isso ainda vai render outro post, relacionando com um documentário que eu vi outro dia.